I love Sydney!

Na segundona, queríamos conhecer outras praias de Sydney. Da City, pegamos o bus 373 com destino à Coogee. Fica-dica 1: você pode usar o passe diário, se tiver um, o cartão Opal (que você consegue em qualquer loja de conveniência) ou comprar os tickets avulsos, também nesses locais. Dentro do bus não se paga nada. Optamos pelos tickets porque ficou em 7,60 AUD e o mínimo que se carrega num Opal é 10 AUD. O legal é que o site transportnsw.info traça a rota para você a partir de onde está, dizendo quanto precisa andar até o ponto, horários e duração da viagem. E funciona. Rapidinho chegamos a Coogee, uma agradável praia de bairro.

IMG_7115

Coogee Beach

Fizemos uma horinha deitados na areia até a Dri aparecer. Ela é a filha da minha Roberta e, quando nos conhecemos, batia quase na minha cintura. No ano passado (quando estive na Austrália), ela tinha 20 anos, fazia intercâmbio e topou pegar uma trilha com a gente.

IMG_7139

De Congee, os 4,5 km da Coastwalk conduzem as pessoas por uma rota cênica, passando por penhascos, vistas fantásticas e várias praias deliciosas.

A primeira é a minúscula Clovelly, lindinha e cercada por paredões. Depois, o cemitério com a vista mais bonita do mundo: Waverley, no alto de um rochedo.

IMG_7143

A pequenina Clovelly

IMG_7155

Waverley, o cemitério com a vista mais bonita do mundo

Na sequência, vem Bronte, minha preferida, e Tamarama, apelidada de Glamarama, por receber muitos gatos e gatas.

IMG_7160

Bronte é a melhor

IMG_7165

Tamarama (ou Glamarama)

E, finalmente, Bondi, a Ipanema de Sydney e maior de todas. É lá que fica o famoso clube de praia Iceberg, com sua piscina olímpica de borda infinita, aberta a qualquer um que esteja disposto a pagar 6,50 AUD.

IMG_7175

Bondi, a Ipanema de Sydney

IMG_7173

Iceberg e sua piscina olímpica de borda infinita

É em Bondi também que achei uma lanchonete que procurei por toda Sydney: a Harry Cafe de Wheels. Eles vendem uma torta que é uma das poucas comidas típicas daqui. É como se fosse a nossa empada, porém em versão gigante, com massa folhada e recheio de carne muito bem cozida supertemperadinha, como aquelas dos nossos botecos. Fica-dica 2: delícia! Quase ao lado, tem um sorvete que é tipo o Häagen-Dazs deles! Fica-dica 3: chama-se Ben & Jerry’s.

No dia seguinte, tínhamos só a manhã em Sydney, antes do embarque para Melbourne. Poderíamos ter aproveitado essas poucas para escalar a ponte, por exemplo. Mas leva 3h para subir e descer os 1332 degraus, além de ser supercaro. Também poderíamos passear no Monorail que passa pelas principais atrações da cidade, por 5 AUD. Ou conhecer bairros como o universitário Glebe (com suas livrarias), o sofisticado Paddington, os descolados Potts Point e Newtown, a ex-zona do meretrício King Cross ou o ex-degradado Wooloomooloo.

Clique aqui para reservar seu hotel pelo Booking.com. Você não vai pagar nada a mais por isso, mas vai ajudar o blog!

Mas, como as 235.678 fotos tiradas pareciam não ter aplacado nosso furor nipônico de clicar, voltamos aos lugares que já conhecíamos como Darling Harbour, Jardim Botânico e a região da Ópera, que realmente são o “must see”.

IMG_7225

Vista do Jardim Botânico

IMG_7214

Como resistir a esse “mais do mesmo”?

Para voltarmos ao hotel, fica-dica 4 de viagem: pegamos um ônibus gratuito verde que passa em Circular Quay e atravessa toda a City. Apesar de sabermos do Free Shuttle desde o primeiro dia, ainda não tínhamos usado.

Gostou das dicas? Curta também a página do Viaje ao Léo no Facebook!

Para ir ao aeroporto, não pegamos o trem dessa vez. Fica-dica 5: contratamos o serviço da Air Bus, que ficou mais barato que os 17 AUD do trem: apenas 13 AUD com o descontinho que conseguimos nesses guias de turismo. Pegaram a gente no hotel e o transfer durou menos de 30 minutos. Ê, país civilizado!



Minha impressão de Sydney :

O que vale a pena: a variedade de atrações e a beleza da cidade, com destaque para a região do porto e para as praias

Permanência: 4 dias. Achei suficiente, mas deixamos de fazer passeios, como os zoos Taronga e Featherdale, as Blue Mountains (nos arredores), Hunter Valley (região vinícola), visita guiada por dentro da Ópera, Chinese Garden, outros bairros e outras praias. Para fazer tudo isso, no mínimo uma semana. Mas achei suficiente o que vi.

Onde ficamos: Central Station Hotel. O quarto era uma caixa de fósforo, meio frio e barulhento. Por 150 AUD/dia, poderia ser melhor. Mas a localização era excelente. Tente ficar por ali.

 

Próxima parada: Great Ocean Road

Parada anterior: Domingo em Sydney

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s