Revezamento da tocha: O Rio de Janeiro continua lindo (dias 92 a 95)

Faltava o Rio! Ah, o Rio, destino tão esperado depois desta maratona de 95 dias. Afinal, a gente rodou 17 mil km de estrada e voou outros 17 mil km para chegar até aqui. E não haveria modo mais emblemático de levar a chama Olímpica à Cidade Maravilhosa do que a Baía de Guanabara, trazida pelas mãos de medalhistas da Vela, o segundo esporte que mais deu medalhas para o Brasil. Estive em Niterói, registrando a partida do barco.

20160803_07555820160803_080815

No dia seguinte, amanheci na Barra da Tijuca, que presenteou o revezamento com uma linda manhã de Sol para a passagem de ícones do esporte como Parrreira e Zagallo. Foi uma honra conhecer os dois.

À tarde, conheci Campo Grande, na zona oeste, e dois homens mundialmente conhecidos: o mito do salto com vara Sergey Bubka e o ganhador do Prêmio Nobel da Paz Muhammad Yunus, criador do microcrédito. E a noite reservou uma ida ao Leblon, onde figuras importantes como Rodrigo Lombardi, Cissa Guimarães e Lucinha Araújo também conduziram a tocha Olímpica.

No último dia de revezamento, tive o privilégio de ver o sol nascer no Corcovado, ao lado de Isabel, ídolo do vôlei. Em seguida, fui ao Pão de Açúcar para ver o símbolo dos Jogos andar de bondinho. Não dentro, mas em cima dele. Que imagem! Foi um encerramento perfeito para essa jornada: os dois maiores cartões-postais do dia, nos últimos momentos dessa grande aventura. O Cristo Redentor realmente abriu os braços para mim.

Parada anterior: Série EM/COMO: Em Friburgo, como os friburguenses  

Série EM/COMO: Em Friburgo, como os friburguenses

Eu já tinha tido que a Dani, meu contato em Friburgo, era bacanérrima, né… E ela acabou nos levando ao lugar mais descolado da cidade: o Bar América!

Era quarta-feira, dia do festival de massas. A cada semana, uma pessoa com uma wok imeeeeeensa faz macarrão para um batalhão.

No dia em que eu fui, a massa era de frutos do mar. E, para que se mantenha aquecida, ela é servida assim, sobre um papel alumínio. Para acompanhar, um chopp gelado.

Então, anote a dica da Dani: em Friburgo, Bar América, ali pertinho da praça Getúlio Vargas.

Confira todos os links da série EM/COMO aqui.

Próxima parada – Revezamento da tocha: Aquele abraço no Rio (dias 92 a 95)

Parada anterior – Revezamento da tocha: De Nova Friburgo a Niterói (dias 89 a 91)