Cachoeiras de Pirenópolis: Rosário (a melhor!)

Não sei se é porque tem o nome da minha mãe, mas a minha cachoeira preferida em Pirenópolis é esta:

20180303_115533

Só por essa imagem, nem precisaria falar por quê, né? Mas vamos lá! Tem gente que considera o passeio às Cachoeiras dos Dragões melhor porque a área do Mosteiro Zen Eisho-ji, onde elas ficam, tem mais quedas. Mas como eu visitei o complexo em período de seca (leia aqui), fiquei mais impactado pela Cachoeira do Rosário!

Clique aqui para curtir a página do Viaje ao Léo no Facebook, e fique por dentro das novas postagens do blog

O caminho para chegar às duas é o mesmo, mas a do Rosário fica a uns 5km antes. Saindo de Pirenópolis, é só pegar a GO338 em direção a Goianésia e dirigir 25km até a entrada de uma estrada de terra. A partir dali, são 10km até a Cachoeira do Rosário. A entrada é bem bacana, com uma área bem cuidada e um redário num mezzanino, de frente pra um visual incrível:

20180303_16201320180303_131811

Dali, uma pequena trilha leva a um poção de água limpíssima e deliciosa! Bom demais ficar ali!

20180303_10385520180303_110121

Reserve sua pousada por este link e ajude o blogueiro!

Mais um pouquinho de caminhada, e já se chega à grande atração do lugar: a Cachoeira do Rosário! Tem mais de 40m de altura, e forma um poço enorme!

20180303_113928

Mas o mais legal dessa cachoeira é o seguinte: ela pode ser vista por trás da queda:

20180303_112226

Foi ali que colocaram a imagem de Nossa Senhora do Rosário, abençoando esse lugar lindíssimo!

20180303_112140

Passamos um tempão lá, mas começou a chover bastante. Por isso, acabamos não aproveitando a Cachoeira Encantada, que fica no caminho de volta. Mas parei para tirar esta foto:

20180303_124005

Seguimos andando até o ponto de partida, dessa vez fomos pelo leito de um rio, ao lado de um belo paredão. Pena que o toró nos impediu de admirar melhor a paisagem. Mas se bem que tomar aquela chuva toda lavou a alma!

20180303_124822

Importante: antes de começar a trilha, o pessoal pergunta se a gente tem interesse no buffet sem balança, com preço fixo. Quem topa já começa a comer ali, antes mesmo da caminhada. No nosso caso, preferimos não aderir. Mas a comida tem cara muito boa. Com ou sem rango, recomendo demais esse passeio. Para mim, sem dúvida é a melhor cachoeira de Pirenópolis!

Parada anterior: Cachoeira dos Dragões

Posts relacionados:

Sonrisal

Paraíso e Lobo

Meia-Lua e Usina Velha

Bonsucesso

Lázaro e Santa Maria

Abade

Anúncios

Cachoeiras de Pirenópolis: Paraíso e Lobo

Para quem não gosta de andar, é mesmo um paraíso. A cachoeira que dá nome ao lugar ficar a menos de 100m (isso mesmo, 100m) do estacionamento. O poço é fundo. Então, é preciso saber nadar.

E, como o acesso é fácil demais, pode ser que tenha muvuca. Na hora em que estávamos lá, por exemplo, chegou uma turma trazendo até boia (daquelas rosa choque, de criança, em volta da cintura), e fazendo o maior barulho. Ainda bem que não ficaram muito. Rs. Mas a propriedade tem mais a oferecer.

Reserve sua pousada por este link e ajude o blogueiro!

Para chegar, é preciso pegar a GO 338, saída para a cidade de Goianésia, conhecida como saída do aeroporto. Após 23km de asfalto, há uma placa indicativa para a cachoeira. Aí, é só virar a direita e seguir por 7 km de estrada de chão.

20170802_134651.jpg

O ingresso custa 20 reais (preço de julho/2017) e, na entrada, eles te dão uma mapinha para você circular.

Clique aqui para curtir a página do Viaje ao Léo no Facebook, e fique por dentro das novas postagens do blog

Como sempre, optamos por fazer a trilha mais longa primeiro, cerca de 2km até a Cachoeira do Lobo. Fica bem escondidinha, não bate muito sol (por isso, é meio fria). Mas, exatamente por ser tão fechadinha, passa a sensação de que está ali só para você. Principalmente se der a sorte de, como nós, chegar num momento em que não há ninguém. Ah, e essa cachoeira tem uma peculariedade muito interessante: uma imensa placa de pedra no fundo, lisinha, lisinha, dando a impressão de que é uma piscina.

20170802_152050.jpg

Cachoeira do Lobo

Bem pertinho, tem uma piscina natural e a Cachoeira da Laje, que estava com pouquíssima água. Não são nada de mais, mas podem ser opções, caso você queira uma certa privacidade. Estavam desertas quando fomos.

20170802_142215.jpg

Cachoeira da Laje

20170802_141405.jpg

Piscininha natural

Voltamos os 2km até a entrada principal e, antes de irmos para a Cachoeira Paraíso (da qual eu falei no comecinho do post), paramos para almoçar no restaurante. A comida é simples, mas bem feita, o preço é legal, e eles ainda aceitam cartão. Recomendo.

 

O lugar tem ainda outras piscinas naturais e áreas de descanso, que não chegamos a conhecer. Pode não ser a atração mais impressionante de Pirenópolis, obviamente. Mas, pela comodidade que oferece, vale a pena demais conhecer!

 

Próxima parada: Cachoeiras de Pirenópolis – Sonrisal

Parada anterior: Cachoeiras de Pirenópolis – Meia-Lua e Usina Velha

Posts relacionados:

Rosário

Dragões

Bonsucesso

Lázaro e Santa Maria

Abade